sábado, 28 de janeiro de 2017

Evolution Pulse: Sci-fi (e Horror) Pós-apocalíptico em Fate

“Ano de 2917. É aqui onde tudo começa. Ou melhor... termina.

Um grupo de cientistas e exploradores descobriu uma base escondida na Antártica, construída por uma civilização de origem supostamente desconhecida.

Após alguns meses de esforço conjunto de pesquisadores de todo o globo, um estranho artefato, de formato similar a uma pequena caixa negra de aproximadamente 20x20 cm, é encontrado.

Depois de várias experiências e baterias de testes, a caixa finalmente é aberta. E a partir desse evento, tudo fica bastante confuso, pois o caos impera.

Aparentemente, cada batimento cardíaco único, vindo de cada pessoa existente no mundo, alterava a nossa realidade. E toda vez que isso acontecia, uma espécie de matéria escura gerava um Hekath (céus, quem foi que “batizou” aquelas malditas coisas, afinal?!), uma criatura horrenda, digna de ser protagonista do pior dos pesadelos, e em constante mudança. E como se já não fossem um problema grande o bastante, os Hekaths se alimentavam da tal matéria escura para evoluir... e tornarem-se mais fortes e letais.

O mundo como conhecíamos? Simplesmente deixou de existir 9 horas depois disso...”
-- Fragmento de um Registro de Dados Pessoal de um LostH resgatado.