sexta-feira, 12 de maio de 2017

Material Selvagem – Artes Marciais Mistas

“Everybody was Kung Fu fighting…”
- Carl Douglas, Kung Fu Fighting

Saudações aventureiros selvagens!

E depois de um relativo hiato, o blog retorna com a coluna Material Selvagem, dessa vez trazendo a tradução (cedida gentilmente pelo "selvagem" Roberto Barreto Miyoshi – o Veterano apenas “caiu batendo” no trabalho de revisão dessa vez, rs) do suplemento gratuito Modern Martial Arts, escrito por Clint Baker, o qual oferece algumas novas opções bem interessantes aos jogadores fãs de artes marciais. Boa leitura!

terça-feira, 2 de maio de 2017

Old Dragon: Retornando ao Forte das Terras Marginais

“O pacato Forte das Terras Marginais é um dos últimos bastiões 
da civilização nestas terras inóspitas, habitadas por monstros 
e bandidos da pior espécie. Nos arredores, a mão tenebrosa das 
forças do caos se organizam.”
- Trecho extraído da descrição de apresentação da aventura.

Saudações prezados amigos!

No início do mês de abril, a Redbox Editora iniciou a já aguardada pré-venda da nova edição da aventura O Forte das Terras Marginais, para Old Dragon. De autoria de Rafael Beltrame, esta aventura foi inspirada na clássica The Keep on the Boarderlands, escrita originalmente por Gary Gigax em 1979 para ser utilizada em conjunto com o D&D Basic Set, que em sua época, foi um marco por não trazer um roteiro pré-determinado para o desenvolvimento da aventura, permitindo aos jogadores explorar várias partes (ou nenhuma!) da região para desvendar os mistérios relacionados com o Forte.

domingo, 23 de abril de 2017

Guisado de Gnomo - Os Custos de Ser o Narrador

"Acho que vou começar a narrar..."
- Aspirante à Narrador.

Saudações, prezados amigos!

Eis que depois de algumas negociações tensas com o Troll “cozinheiro gourmet”, hoje o Veterano (que por muito pouco não se tornou parte do cardápio...) compartilha com vocês a tradução de mais um artigo do acervo do blog Gnome Stew. Dessa vez, tratando um pouco sobre os custos de ser um Narrador. Boa leitura!

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Guisado de Gnomo - A Mesa Online: É Mais Trabalho?

"Jogar Online? Sei não... isso parece ser muito trabalhoso de organizar."
- Narrador receoso (ou seria preguiçoso?).
Saudações, prezados amigos!

E depois de um razoável hiato (cortesia do Troll "cozinheiro gourmet" que resolveu “curtir umas férias”... acreditem ou não, encontrar um desses que também seja um profissional decente é mais difícil do que parece! rs), o Veterano compartilha com vocês a tradução de mais um artigo do gigantesco acervo do blog Gnome Stew. Dessa vez, abordando uma questão envolvendo um assunto bastante recorrente: o trabalho de se organizar um jogo online. Boa leitura!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Material Selvagem - Supers Selvagem: Expandindo o Compêndio de Superpoderes #01

“Nós nunca teríamos te irritado se soubéssemos que você tinha superpoderes.”
- Dustin Henderson, Stranger Things.

Saudações heróis selvagens!

E eis que o Veterano retorna, trazendo mais um artigo autoral para a coluna Material Selvagem do blog (as traduções dos artigos do Richard Woolcock retornam em breve... podem ficar sossegados! rs), dessa vez abordando algumas ideias das quais sentiu falta (ou que não agradaram mesmo...) no Compêndio de Superpoderes. Boa leitura!

sábado, 28 de janeiro de 2017

Evolution Pulse: Sci-fi (e Horror) Pós-apocalíptico em Fate

“Ano de 2917. É aqui onde tudo começa. Ou melhor... termina.

Um grupo de cientistas e exploradores descobriu uma base escondida na Antártica, construída por uma civilização de origem supostamente desconhecida.

Após alguns meses de esforço conjunto de pesquisadores de todo o globo, um estranho artefato, de formato similar a uma pequena caixa negra de aproximadamente 20x20 cm, é encontrado.

Depois de várias experiências e baterias de testes, a caixa finalmente é aberta. E a partir desse evento, tudo fica bastante confuso, pois o caos impera.

Aparentemente, cada batimento cardíaco único, vindo de cada pessoa existente no mundo, alterava a nossa realidade. E toda vez que isso acontecia, uma espécie de matéria escura gerava um Hekath (céus, quem foi que “batizou” aquelas malditas coisas, afinal?!), uma criatura horrenda, digna de ser protagonista do pior dos pesadelos, e em constante mudança. E como se já não fossem um problema grande o bastante, os Hekaths se alimentavam da tal matéria escura para evoluir... e tornarem-se mais fortes e letais.

O mundo como conhecíamos? Simplesmente deixou de existir 9 horas depois disso...”
-- Fragmento de um Registro de Dados Pessoal de um LostH resgatado.