terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Savage Worlds Starcraft - Apresentação

“Não se iluda. A guerra está chegando... com toda a glória... e o horror.”
- Arcturus Mengsk
Saudações meus amigos!
 
Anteriormente, quando escrevi sobre a adaptação de Overwatch para Savage Worlds, eu comentei que era um apreciador incondicional dos trabalhos da Blizzard Entertainment, cujo enredo de seus jogos por si só demonstravam um potencial imenso para tornarem-se incríveis cenários de RPG (eis as adaptações de Warcraft e World of Warcraft para D&D / Sistema D20 – as quais vocês podem conhecer um pouco mais aqui – para reforçar tal ponto de vista).

Bom, hoje o Veterano dedica algumas palavras sobre outra franquia dessa empresa: Starcraft.

Starcraft é uma franquia de ficção científica militar criada por Chris Metzen e James Phinney. Resumidamente, seu enredo foca-se na constante luta pela dominância galáctica entre três espécies distintas (os insectóides Zergs, os enigmáticos Protoss e os adaptáveis e recém-chegados Terranos) em uma distante parte da galáxia conhecida como Setor Koprulu, no início do século 26.

"Vai! Vai! Vai!" - Soldado Terrano
A franquia estreou com o jogo de computador de estratégia em tempo real Starcraft em 1998. E desde então, continuou a crescer, incluindo outros jogos e expansões (Starcraft II: Legacy of the Void, foi o último e mais recente lançamento, no final de 2015), romances, histórias em quadrinhos, um jogo de tabuleiro, uma adaptação para RPG (isso mesmo, você não leu errado) e outras mercadorias licenciadas, indo desde estátuas colecionáveis a brinquedos.

O jogo original e sua expansão (Starcraft: Brood War) foram considerados na época como referência para jogos de estratégia em tempo real. A franquia alcançou uma sólida base de fãs ao redor do mundo, principalmente na Coréia do Sul, onde jogadores e times profissionais participam e competem em torneios e campeonatos, com direito a patrocinadores, partidas televisionadas e tudo mais (sim, eles levam os e-sports muito a sério e adoram elevar o mesmo a novos patamares...).

Tropas Estelares: O início de tudo?
Um detalhe sobre Starcraft que até hoje gera certa polêmica (e atritos em alguns casos), se deve a alegação sobre o mesmo ter copiado elementos do universo de Warhammer 40K, um wargame de miniaturas produzido pela Games Workshop, cuja primeira edição foi lançada em 1987 (11 anos antes do primeiro Starcraft). Apesar de concordar que, ao menos em um nível fundamental, Starcraft foi sim, construído sobre bases semelhantes às de Warhammer 40k (afinal de contas, duvido muito que ambos – assim como qualquer outro cuja temática seja similar – não tenham buscado inspiração em Tropas Estelares, romance escrito por Robert A. Heinlein em 1959, e adaptado para os cinemas em 1997), basta dedicar algum tempo pesquisando sobre cada um para perceber que as histórias e aventuras dos dois universos são radicalmente diferentes em vários aspectos.

O Universo de Starcraft no RPG:
Assim como Warcraft, foi feita uma tentativa de trazer este universo oficialmente para as mesas de jogo. Através de uma parceria com a Wizard of the Coast, em 2000 foi lançado Alternity: Starcraft Edition, uma caixa contendo dois livros (Alternity: Starcraft Edition - Rules Book e Alternity: Starcraft Edition - Adventures Book), dados, um escudo do mestre e 8 personagens prontos, visando adaptar o cenário (até os eventos ocorridos na expansão Brood War) para as regras de Alternity, um RPG de ficção científica genérico (ou seja, com ele poderia ser jogado em quaisquer tipos de cenários, como cyberpunk, space opera, conspiração na época atual, pós-apocalipse, viagem no tempo, etc.), lançado em 1998 pela agora extinta TSR, nos mesmos moldes do D&D (com 3 livros básicos coloridos e de capa dura).

Imagem da caixa de Alternity: Starcraft Edition
Da mesma forma que ocorreu com as adaptações de Warcraft, oficialmente, o conteúdo dos livros desta caixa (a qual já se encontra fora de catálogo há alguns anos) foi considerado como “não canônico”, não possuindo qualquer peso oficial sobre a história dos jogos.

Desde então, não houve mais nenhum pronunciamento por parte da Blizzard sobre uma nova tentativa de adaptá-lo para RPG (ironias a parte, a empresa deve ter chegado à conclusão de que possui “dedo podre” para tal segmento... ou pelo menos, para escolher seus parceiros neste tipo de empreitada, mas enfim, rs).

Pesquisando na internet, é possível encontrar algumas adaptações pessoais do cenário para sistemas variados. Contudo, grande parte desses materiais se encontra “abandonado” no limbo da grande rede ou deveras desatualizado em termos de conteúdo, referindo-se ainda ao jogo original.

E é a partir desse ponto que o Veterano entra em cena, depois de muito trabalhar tirando a poeira e restaurando informações fragmentadas de discos de dados confidenciais da Supremacia. Uma série de artigos adaptando este cenário, utilizando como base as regras existentes na Edição Brasileira do Savage Worlds e no Science Fiction Companion (ainda sem uma versão equivalente em português) está sendo preparada e será disponibilizada no blog em breve.

Notas do Veterano:
1) Quem quiser saber mais sobre o jogo, pode acompanhar as novidades e notícias sobre o mesmo diretamente no site oficial.

2) Em bom português, existe uma adaptação – já defasada – para o Opera RPG (publicada como um netbook pela Rede RPG) e algumas postagens no antigo blog da Vila do RPG convertendo o mesmo também para 3:16 Carnificina nas Estrelas.

Postar um comentário